Relatórios apontam que Brasil é um dos países mais violentos do mundo para a atuação de jornalistas

Ao menos 64 jornalistas foram assassinados no Brasil desde 1995, afirma um relatório do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Ele foi apresentado em 30/4, com o apoio do Ministério da Justiça e do Conselho Nacional de Justiça, para marcar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa (3/5).

De acordo com o CNMP, uma compilação desse tipo é inédita. “O Brasil é um dos países mais violentos no que diz respeito ao ambiente de atuação dos comunicadores”, diz o documento. Ele relata ainda que 19 das 27 unidades federativas tiveram assassinatos de jornalistas nos últimos 20 anos. O ranking é liderado por Rio de Janeiro (13 assassinatos) e Bahia (sete). Também chama a atenção o baixo percentual de crimes resolvidos. Das 64 mortes avaliadas: 32 foram consideradas “solucionadas” pelo MP, o que, segundo o próprio órgão, não significa que a investigação tenha encontrado culpado; 16 continuam em investigação; sete foram encerrados sem resolução; sete estão sem informação; e dois casos foram considerados “parcialmente solucionados”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *