Otacilio Lage

Otacílio FerreiraLage nasceu na cidade de Rio Piracicaba, Minas Gerais, em 29 de março de 1948. Foi criado em Ferros e, aos 19 anos, mudoupara a capital mineira para continuar os estudos.

Iniciou sua carreira em 1968 como vendedorde assinatura do jornal Diário de Minas, em Ferros. Posteriormente, foicontratado como correspondente do jornal, função que exerceu durante quatro anos. Paralelamente,também atuou como correspondente do jornal O Globo, em Belo Horizonte.

Entre 1972 e 1975, foi repórter dasucursal da Agência Brasileira de Notícias ? Radiobrás, onde era responsávelpela preparação do material em Minas.

Em 1977, atuou como diretor doSindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais. Na sequência, foirepórter da Bloch Editores, grupo com mais de 16 emissoras de rádio e cinco de TV,que compunham a Rede Manchete.

Nessa época, fez muitas viagens para cobrir notícias fora de Belo Horizonte, como quando acompanhou o cotidianodo médium Chico Xavier, em Uberaba. Também fez viagens pelo nordeste brasileiro,acompanhando o Projeto Rondom. Segundo o jornalista, foram viagens gratificantes que lheproporcionaram grande crescimento profissional.

Em 1985, implantou uma emissora de rádioem Espinosa, projeto que durou dois anos.

De volta à capital mineira, atuou durantenove anos como Assessor de Imprensa da Federação das Indústrias do Estado deMinas Gerais (Fiemg).

Também trabalhou como Assessor deComunicação da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, foi jornalistaresponsável pela produção do jornal do Conselho Regional de Odontologia, foieditor do jornal interno da Faculdade de Ciências Médicas, foi Assessor deImprensa de parlamentar e trabalhou na Associação Comercial de Minas.

Em 1988, atuou brevemente como repórterdo Jornal de Minas, quando, então, foi convidado a fazer parte da primeiraequipe de repórteres do Jornal Hoje em Dia, fundado naquele ano.

Em dezembro de 2000, foi contratadocomo Editor do caderno de Opinião do Jornal Estado de Minas, função que exerceudurante 11 anos.

Em julho de 2011, foi transferido parao caderno Gerais, onde, atualmente, é Subeditor.

Dentre as coberturas que marcaram acarreira, destacam- se: a matéria que fez com a menina Berenice, o primeirocaso em que Carlos Chagas comprovou a relação causal da doença (de chagas) com oprotozoário, onde foi possível identificar o vetor, oagente causador, o reservatório do parasita e o quadro infeccioso da doença,uma descoberta considerada um marco na história da ciência e da saúdebrasileira; a entrevista feita com Manuel Nardi, imortalizado como Manuelzão na obra de Guimarães Rosa; a mortede Zé Arigó em Congonhas (1971), o maior fenômeno mediúnico do Brasil; e a tragédia da Gameleira, em 4 de fevereiro de 1971,onde morreram 69 operários e 50 ficaram feridos no desabamento tido como omaior acidente da construção civil brasileira.

Além do seu trabalhono jornal, Otacílio também é Diretor de conselho fiscal no Sindicato dosJornalistas Profissionais de Minas Gerais.

Nas horas vagas,Otacílio se entrega a culinária e pescaria, já escreveu vários textos e contos sobreo assunto, além de diversas crônicas cotidianas.

 

 

Atualizado em 05 de março de 2012- Portal dos Jornalistas/MG

Fonte: Informações fornecidas pelopróprio jornalista.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *