A agência de checagem Aos Fatos deu início ao projeto Artefato, que une arte e jornalismo para combater a desinformação sobre a Covid-19. Nos próximos cinco meses, 20 artistas criarão ilustrações, pinturas e intervenções sobre a pandemia, que serão difundidas semanalmente nas redes da empresa e expostas em uma galeria virtual.

Com a diversidade das obras, Aos Fatos pretende ampliar o alcance de conteúdo informativo sobre o coronavírus. No projeto, a arte é utilizada para desmitificar fake news, mitos e teorias da conspiração que desestimulam a vacinação.

Ao fim dos cinco meses, a empresa fará um leilão das obras produzidas para o projeto. Parte da renda arrecadada será direcionada à Central Única das Favelas (Cufa) e à Coalizão Negra por Direitos.

Tai Nalon, diretora executiva e cofundadora de Aos Fatos, falou sobre o uso da arte para combater desinformação: “Acreditamos que a arte tem poder transformador, além de ser um importante registro sobre os tempos que vivemos. Di Cavalcanti documentou a ascensão de movimentos militaristas. Picasso registrou amplamente a guerra civil espanhola e o fascismo de Francisco Franco. Aos Fatos quer popularizar a noção de que a desinformação sobre Covid-19 é o grande desafio da nossa geração”.

O Artefato foi um dos sete projetos no mundo selecionados pelo Vaccine Grant Program, iniciativa do WhatsApp e da International Fact-Checking Network (IFCN) para financiar ideias inovadoras de combate à desinformação sobre vacinas contra a Covid-19.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments