Permanece a indefinição sobre o comando da EBC

Tereza Cruvinel, presidente da EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), desmentiu informações publicadas no último dia 16/10, na coluna Painel, da Folha de S.Paulo, e reproduzidas no Blog de Josias de Souza, do UOL, que davam como certa a decisão do Governo Federal por sua saída do posto, ao final do mandato, este mês, e sua substituição pelo superintendente de Comunicação e Multimídia da empresa Nélson Breve. Ela chegou inclusive a procurar o blog, que na noite do mesmo domingo publicou seu desabafo: ?Josias, nestes tempos em que se faz jornalismo sem ouvir o outro lado, sou obrigada a esclarecer através de comentário sua notícia: ?O Planalto não decidiu trocar o comando da EBC. Há cerca de quatro semanas, estive com a presidenta Dilma, que a exemplo da ministra Helena Chagas, da Comunicação Social, convidou-me a permanecer por um segundo mandato de quatro anos na presidência da EBC. Ponderei que neste primeiro quadriênio eu e a atual diretoria fizemos um trabalho vitorioso na implantação da EBC e da TV Brasil mas que eu recomendava a renovação na Presidência, por razões de gestão e especialmente porque não tenho interesse no segundo mandato. Acredito ter dado importante contribuição ao projeto. Ela pediu-me para retomarmos o assunto em próxima e definitiva conversa, que ainda não ocorreu. Por isso, tenho evitado comentar o assunto, o que seria indelicado, antes desta audiência prevista para o próximo dia 24?. Agradeço o registro em nome da boa apuração da verdade?. Segundo a nota do Painel, o nome de Nélson Breve, cotado para substituir Tereza, ?conta com a simpatia do ex-ministro Franklin Martins?. Pelo visto, só na próxima semana veremos o desfecho dessa história.