Laurentino Gomes e Marina Colasanti levam o Jabuti de livros do ano

Em concorrida cerimônia realizada na noite desta 3ª.feira (18/11), no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, os organizadores da 56ª edição do Jabuti entregaram os prêmios aos vencedores das 27 categorias (conhecidos desde outubro) e anunciaram os melhores livros de 2013: Breve história de um pequeno amor, de Marina Colasanti (Ficção); e 1889 – Como um imperador cansado, um marechal vaidoso e um professor injustiçado contribuíram para o fim da monarquia e a Proclamação da República no Brasil (Globo Livros), de Laurentino Gomes (Não ficção). Vencedor do Jabuti com seus dois primeiros livros, 1808 e 1822, Laurentino afirmou, segundo Rodrigo Casarin, do UOL, que “não lemos história apenas como entretenimento, ela é uma formação de identidade. Só olhando para o passado para sabermos o que somos hoje e aí, estarmos mais aptos para fazer o Brasil do futuro. Não podemos cair no cinismo, na acomodação, de achar que o Brasil não tem conserto, pois o País já superou muitas dificuldades no passado”. A grata surpresa foi a conquista de Marina, em Ficção, com o infantil Breve história de um pequeno amor, no qual retrata a saga de uma escritora que resolve cuidar de filhotes de pombo encontrados em um ninho abandonado. Marina reconheceu ser absolutamente inusitada a conquista, já que “nós, dos infantis, sempre achamos que somos vistos como outra categoria. Não ganho pra mim, mas para as crianças que nos leem e para todos nós que batalhamos para fazer um Brasil leitor”.