Com insinuação sexual, Bolsonaro insulta Patrícia Campos Mello

O presidente Jair Bolsonaro insultou nesta terça-feira, em frente ao Palácio da Alvorada, a jornalista da Folha de S.Paulo Patrícia Campos Mello, enquanto comentava a polêmica do falso testemunho de Hans River na CPMI das Fake News. Com insinuações de cunho sexual, Bolsonaro disse que a repórter “queria um furo, queria dar o furo a qualquer preço contra mim”. Ele também comentou que em outro depoimento de Hans, ocorrido em 2018, é possível ver “o assédio da jornalista em cima dele”.

O ex-funcionário da empresa Yacows, Hans River, foi uma das fontes ouvidas por Patrícia em sua reportagem que denunciava um investimento milionário por parte de empresas apoiadoras do então candidato Jair Bolsonaro em mensagens contra o PT via WhatsApp, ação proibida pela Justiça Eleitoral. Intimado a depor à CPMI das Fake News, Hans afirmou que a repórter especial da Folha “deu em cima” dele para obter informações.

Em reportagem publicada posteriormente, a Folha de S.Paulo revelou as conversas entre Patrícia e Hans, que desmentiram o depoimento dele. Em uma das mensagens, é possível ver que foi o ex-funcionário que convidou a repórter para um show.

A Associação Nacional de Editores e Revistas (Aner) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) repudiaram as falas de Bolsonaro. Em nota, as entidades afirmaram que “as insinuações do presidente buscam desqualificar o livre exercício do jornalismo e confundir a opinião pública”, e que ele “se aproveita da presença de uma claque para atacar jornalistas, cujo trabalho é essencial para a sociedade e a preservação da democracia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *