Abril faz cortes pontuais, mas nega rumores de fechamento da gráfica

Última atualização: 18/2, às 20h52

A Editora Abril promoveu alguns cortes na última sexta-feira (14/2). Segundo apurou este Portal dos Jornalistas, as demissões foram concentradas, principalmente, em alguns cargos de liderança. Segundo a assessoria de imprensa do Grupo, as mudanças foram pontuais e “fazem parte de um processo natural de promoção de novos talentos”.

Do Jornalismo, deixaram a casa a diretora de Redação do Núcleo Digital de Viagem e Turismo e Guia do Estudante Angélica Santa Cruz, o redator-chefe da Quatro Rodas Zeca Chaves e o diretor da Capricho Thiago Theodoro.

Para o comando da Quatro Rodas foi promovido Paulo Campo Grande, editor de testes que integra a equipe desde 2000. Para a Capricho, foi promovida a editora de beleza Juliana Costa, há sete anos na casa. Ambos assumirão os mesmos cargos ocupados pelos seus antecessores.

Ainda não está definido o nome do profissional – ou dos profissionais – que assumirá o Guia do Estudante e a Viagem e Turismo.

Também houve demissões, porém não em cargos de liderança, nas redações de Veja e Claudia, além de cortes nas áreas de Publicidade e Administrativa.

Fim da gráfica?

Outro impacto das recentes mudanças na Abril, que desde agosto de 2018 está em processo de recuperação judicial, poderia ser o fechamento da gráfica. Segundo uma fonte ouvida por este Portal dos Jornalistas, o setor seria desativado até abril, quando as revistas passariam a ser impressas em uma gráfica terceirizada.

Em um primeiro contato com a assessoria de imprensa da Editora Abril, nesta segunda-feira (17/2), a reportagem foi informada que ainda não havia uma definição sobre essa decisão. Já nesta terça-feira (18/2) a agência que atende a editora informou que não há planos para o fechamento da gráfica. A conferir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *