Os jornalistas que estão entre os vencedores do Jabuti

*Por Cristina Vaz de Carvalho, editora de J&Cia no Rio

O jornalismo esteve bem representado nas cerca de 30 categorias do Prêmio Jabuti, cujos ganhadores foram divulgados em 31 de outubro.

Os colunistas do Globo Luís Fernando Veríssimo e Adriana Carranca e o colunista da Folha de S.Paulo Antônio Prata venceram a categorial Infantil digital, como parceiros num grupo de dez autores convocados pela agência África para o Kidsbook Itaú Criança. Na categoria Infantil tradicional, o segundo lugar foi para Luisa Massarani, com Se eu fosse…, coletânea de textos publicados no caderno Folhinha, extinto no ano passado.

Na categoria Contos e crônicas, o segundo lugar coube a Ignacio de Loyola Brandão e seu Se for pra chorar que seja de alegria, da Global Editora. E o terceiro ficou com Caixa Rubem Braga, em que o trabalho do autor foi organizado pelos críticos e estudiosos André Seffrin, Bernardo Buarque de Hollanda e Carlos Didier, para a Editora Autêntica.

Marcel Gleiser, colaborador da Folha de S.Paulo, ganhou o segundo lugar em Ciências da natureza, meio ambiente e matemática, com A simples beleza do inesperado, da Record. Em Biografia, Enquanto houver champanhe, há esperança, de Joaquim Ferreira dos Santos sobre Zózimo Barrozo do Amaral, para a Intrínseca, levou o terceiro lugar. Com os pés na África, de Sergio Tulio Caldas, ficou em segundo em Didáticos e Paradidáticos. Uma categoria nova nesta edição do prêmio – HQ – viu André Dahmer, que colabora com O Globo e a Folha, chegar em terceiro lugar com a obra Quadrinhos anos 10, da Companhia das Letras.

A categoria Reportagem e documentário, como era de se esperar, teve jornalistas em todos os postos: Petrobras: uma história de orgulho e vergonha, de Roberta Paduan para a Companhia das Letras, em primeiro lugar; Nazistas entre nós: a trajetória dos oficiais de Hitler depois da guerra, de Marcos Guterman, do Estadão, para a Contexto, em segundo; e O livro dos bichos, de Roberto Kaz, da piauí, também para a Companhia das Letras, em terceiro.

Concorre ao Melhor livro do ano, grande prêmio que será anunciado somente na cerimônia de 30/11, o melhor Juvenil, de José Castello, Dentro de mim ninguém entra, da Berlendis & Vertecchia. Castello é colaborador do Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *