Nina Lemos

Nina Lemos nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 1971. É jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ufrj/RJ).
 
Exilou-se em São Paulo, como gosta de brincar, para trabalhar no caderno Modo de Vida do Jornal da Tarde, onde começou a frequentar os desfiles de Moda mais importantes do País. Também editou a coluna Saia Justa do antigo vespertino.
 
Em 1997, sentada em uma mesa de bar com as colegas Jô Hallack e Raq Affonso, depois de passar um tempo se queixando bastante do comportamento dos homens, as três resolveram colocar no papel todas as ideias que tinham a respeito do relacionamento entre os gêneros humanos. Optaram por editar um fanzine de oito páginas, com 100 mil cópias, que batizaram, usando de bom humor e ironia, de 02 Neurônio. Em dois anos, lançaram cinco edições, uma maior do que a outra e sempre com mais colaboradores.
 
Devido ao sucesso, o passo seguinte foi lançar um almanaque, o 02 Neurônio – Almanaque Para Garotas Calientes (Conrad, 1999). A nova publicação proporcionou às três o convite para escrever uma coluna semanal no jornal Folha de S.Paulo, em maio do ano 2000, que durou até junho de 2011 e rendeu mais cinco livros: Almanaque 02 Neurônio – Guia da Mulher Superior (Record, 2002), Almanaque 02 Neurônio – Manual para Moças em Fúria (Record, 2003), Guia 02 Neurônio Rio de Janeiro e São Paulo (Record, 2005), Como Enlouquecer Seu Homem (Mesmo!)  (Publifolha, 2006) e 10 Anos de 02 Neurônio – Do Anonimato ao Anonimato (Jaboticaba, 2010).
 
Além disso, o projeto foi para a Internet, primeiro como um site alocado no portal UOL, no ano 2000, depois como um blog, na seção Estilo, em 2006. As jornalistas também fizeram parte da equipe de roteiristas do Garotas do Programa, exibido pela Rede Globo em 2000 e participaram, como roteiristas e atrizes, do quadro Telefone Sem Fio, do programa Armazém 41, exibido pelo canal GNT.
 
Paralelamente, o grupo do 02 Neurônio dirigiu e participou de dois curtas-metragens, Superego Descontrol (1999) e Lama (2000). E também chegou ao rádio, através de drops diários de um minuto veiculados pela Oi FM, entre julho de 2008 e julho de 2009, e do programa Zíper, na rádio Jovem Pan, onde as três ganharam a companhia do psicanalista Jairo Bouer e da drag-queen Nany People para responder as perguntas sobre relacionamentos e sexo dos ouvintes.
 
Antes mesmo do fim da parceria, Nina começou a escrever sobre Moda e Televisão para o caderno Ilustrada da Folha de S.Paulo, onde permaneceu até outubro de 2011. Desde 2001, já atuava como repórter especial nas revistas Trip e Tpm. É uma das criadoras desta última, onde também é responsável pela seção Badulaque, de seis páginas. No portal Trip.com.br, editou o blog Lemos (e não entendemos), de março a junho de 2008, e comandou, com Xico Sá, o consultório sentimental punk-brega-niilista-online Ombro Amigo, em junho de 2008, respondendo às consultas dos internautas.
 
Entre janeiro e dezembro de 2012, foi colunista do caderno E+ de O Estado de S.Paulo e blogueira do portal Estadão.com.br, onde sua audiência chegou a ter dez mil compartilhamentos por texto. Fez, também, matérias para a webtv do Estadão. Os vídeos de cobertura da São Paulo Fashion Week e do Carnaval de 2012 estiveram entre os campeões de audiência do portal.
 
Realizou o sonho de escrever e publicar um romance com A Ditadura da Moda (Conrad, 2009), onde mostra o glamour dos grandes desfiles e das semanas de Moda pelos olhos de uma jornalista filha de militantes comunistas, que participaram da luta armada contra a ditadura militar.
 
 
Atualizado em janeiro de 2013
Fontes:
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *