FIJ incentiva realização de seguros de vida para jornalistas

A Federação Internacional dos Jornalistas criou um novo sistema de seguros de vida para profissionais da mídia. Depois de negociações com empresas seguradoras de todo o mundo, a entidade conseguiu preços mais baixos em relação aos do mercado e cobertura para todos os trabalhadores de mídia sem restrição, em qualquer região do mundo – inclusive zonas de guerra.  De acordo com a FIJ, muitas seguradoras se recusam a fazer seguros de vida para profissionais que trabalham em zonas perigosas e, quando o fazem, cobram muito caro. Como resultado, repórteres, cinegrafistas, fotógrafos e freelances terminam realizando coberturas em alguns dos países mais perigosos do mundo sem uma apólice de seguro. A FIJ uniu forças com a Insurance for Journalists, seguradora especializada em profissionais de mídia, para atendê-los em qualquer lugar que as reportagens e histórias possam conduzir. Toda apólice dela cobre morte acidental e invalidez, além de atendimentos de emergência e evacuação em caso de doença e de repatriação de qualquer lugar do mundo (incluindo áreas hostis), quando necessário.  As políticas de seguro foram desenvolvidas com o apoio de um grupo de jornalistas da FIJ e são fornecidas pela IOMA Insurance, em parceria com a Lloyd’s de Londres. Jornalistas que forem filiados à FIJ e tiverem a Carteira Internacional de Jornalistas tem 10% de desconto em qualquer das apólices oferecidas. Segundo a tabela da seguradora, o Brasil é considerado um país de baixo risco. A cobertura varia entre US$ 100 mil e US$ 500 mil e o preço é tabelado de acordo com o número de semanas no local. Veja mais detalhes.