Primeiro uso do termo notícias falsas na imprensa foi há mais de 100 anos

A primeira vez que o conceito de notícias falsas foi usado na imprensa foi, provavelmente, há 122 anos, na França. Em 1898, o jornal L’Aurore publicou um texto do escritor Émile Zola, direcionado a Felix Faure, presidente do país na época, no qual questionava a condenação capitão Alfred Dreyfus, considerado até hoje um dos maiores erros judiciais da história.

Dreyfus foi acusado de fornecer informações secretas do exército francês aos alemães, e acabou condenado em 1895. Zola estava convencido de sua inocência graças a provas reunidas pelo irmão de Dreyfus, Mathieu, e de sua esposa, Lucie. O escritor escreveu alguns artigos sobre o assunto no jornal Le Figaro, mas a publicação foi cortada após o jornal perder assinantes.

Passou a escrever em panfletos de rua artigos em defesa do militar, denunciando a condução do caso por parte da justiça, além da fraca apuração de informações e provas que de fato poderiam inocentar Dreyfus. Somente em 1898, George Clemenceau, redator-chefe do jornal L’Aurore, decidiu publicar um artigo de Zola na primeira página.

O título do texto é J’accuse (eu acuso, em francês), referindo-se a oficiais que elaboraram um esquema para incriminar Dreyfus. O artigo também critica a falta de provas e erros judiciais.

Com informações da ANJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *