Parlamentares seguem preferindo jornais, diz pesquisa da FSB

A FSB divulgou nesta semana o Mídia e Política 2016, estudo do Instituto FSB Pesquisa que desde 2008 investiga os meios e veículos pelos quais os deputados federais brasileiros preferem se informar. Nesta edição, foram entrevistados 230 deputados, de 26 diferentes partidos. De acordo com o estudo, os jornais impressos continuam sendo a principal fonte de informação para 43% dos entrevistados. Dos demais, 32% se informam pela internet, 16% pela televisão e 6% pelo rádio. A pesquisa mostra ainda que a Folha de S.Paulo aparece como o jornal preferido pelo nono ano consecutivo, com 65%, seguida por Estadão (41%), O Globo (31%), Valor Econômico (14%) e Correio Braziliense (12%). A Folha também é o jornal com maior índice de leitura (89%), seguida de Estadão (74%), O Globo (70%), Valor Econômico (55%) e Correio Braziliense (47%). Na internet, o G1, que havia ultrapassado o UOL em 2015, ampliou sua vantagem, sendo citado por 56% dos parlamentares como seu portal preferido, contra 35% de citações do UOL. Este ano, pela primeira vez o Mídia e Política investigou o grau de confiança dos parlamentares no conteúdo noticioso dos diversos meios de informação. Os dados revelam que os jornais impressos são o meio de informação mais confiável (70%).  Em segundo lugar, empatados com 60%, estão as rádios de notícias e os telejornais, seguidos de portais e sites de notícias (51%), revistas semanais (47%), blogs (34%), twitter (19%) e facebook (18%). Confira a íntegra do estudo.