Milton Neves

Milton Neves Filho nasceu em 6 de agosto de 1951, em Muzambinho (MG). Formou-se em Jornalismo em 1977, na Sociedade Universitária Paulista de Ensino Renovado Faculdades Objetivo (Supero/SP). É escrivão de polícia aposentado.
 
Aos 14 anos já fazia locuções para a rádio Continental em sua cidade natal. Em 1971 conseguiu seu primeiro emprego como radialista, na rádio Colombo, em Curitiba (PR). Em 1972, foi para a Jovem Pan AM, em São Paulo (SP), após ser avaliado por Fernando Vieira de Mello (1929-2001). Começou como estagiário, trabalhando com Benê Braga (1942-2008), que era o responsável pelas notícias de trânsito.
 
Em 1973, convidado por Osmar Santos, passaria a participar do Plantão Esportivo da Pan, do qual se tornaria titular no ano seguinte. Em 1978, passou a apresentar o Plantão de Domingo. Em 1982, inaugurou o Terceiro Tempo, programa que depois levaria para outras emissoras de TV e rádio. Em 2005, deixou a rádio Jovem Pan após 33 anos de casa e foi para a rádio Bandeirantes. O radialista também teve uma passagem pela CBN/Anhanguera, em Goiânia, ficou por dois anos na Sulamérica Trânsito e alguns meses na Bradesco Esportes FM.
 
Na televisão, participou do programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, entre 1985 e 1986, na época apresentado por Roberto Avallone. Iniciou a carreira como narrador esportivo na Jovem Pan TV UHF Canal 16, que permaneceu no ar somente entre 1990 e 1991. Em 1994, na TV Manchete, apresentou por cinco meses o programa Canal 100 na TV. De 1999 a 2001, na TV Bandeirantes, comandou o Supertécnico. Nesse período, também apresentou o Esporte Total Debate e o Gol, o Grande Momento na mesma emissora, além de, em 2000, comandar o Melhor de Todos.
 
Pela TV Record, apresentou o Debate Bola entre 2001 e 2008. Entre 2001 e 2008, pela mesma emissora, comandou o Terceiro Tempo. De 2001 a 2004, apresentou o Tribuna do Esporte na TV Assembleia. De 2002 a 2003, apresentou o Roleta Russa no Canal 7, parceria entre a TV Record e a Sony Television. No mesmo ano, com a saída de José Luiz Datena para a TV Bandeirantes, apresentou o telejornal policial Cidade Alerta por quase um semestre.
 
Entre 2005 e 2007, apresentou o Golaço, na extinta Rede Mulher de Televisão. Em 2007, participou do Record News Esportes por alguns meses, até retornar à Bandeirantes, onde em 2008 iniciou a segunda fase do Terceiro Tempo como programa de televisão.
 
Na mídia impressa, Milton Neves assinou colunas na revista Placar, por nove anos, e no jornal Diário Popular. Assina no jornal Agora São Paulo, do Grupo Folha, a coluna Terceiro Tempo. Na Internet, mantém o site Terceiro Tempo no qual está a conhecida seção Que fim levou?, um arquivo com a história de diversos nomes do mundo esportivo entre jogadores de futebol, jornalistas, locutores, comentaristas e demais figuras ligadas ao esporte. Também edita o Blog do Milton Neves dentro do portal BOL, o primeiro espaço na web ocupado individualmente por um jornalista no País, que conta com a participação de Rogério Micheletti e Gustavo Grohmann, e do Blog do Miltão, alocado no site da Band no portal UOL.
 
Desde 2011, tem o seu nome inscrito no Hall dos Notáveis da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (Aceesp), criado para reconhecer cronistas que fizeram e fazem parte da história da crônica esportiva paulista e brasileira. Com isso, passou a ser considerado hors concours nos prêmios Troféu Aceesp, que ganhou por doze vezes, somente na categoria Apresentador de Rádio.
 
Também atua no mundo empresarial, com interesses nos setores jornalístico, financeiro, midiático, pecuário, de agronegócio, de eventos, de palestras, de pontos de venda, imobiliário, internético e publicitário. Pensa em mudar-se para Miami (EUA), onde tem um apartamento à beira-mar.
 
 
Atualizado em novembro de 2012
Fontes:
Jornalistas&Cia Sp756 (agosto/2010 e Sp804A (julho/2011)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *