Denise Neumann

Denise Maria Neumann nasceu em 28 de outubro de 1964, em Sapiranga, RS, o que lhe rendeu o primeiro emprego.
“Eu fui para Brasília, em abril de 1987, e nunca tinha trabalhado de verdade em redação. Aí, bati na Gazeta Mercantil (eu conhecia o Ivanir Bortot, na época repórter na sucursal de Brasília da Gazeta). A chefe da sucursal era a Rosvita Saueressig Laux. Começamos a conversar, ela perguntou onde eu tinha nascido e quando falei Sapiranga, ela perguntou o meu sobrenome. ?Neumann?, eu respondi. ?Tu é filha do Darcy e da Therezinha??. ?Sou?, respondi, atônita. ?Eles foram meus professores de matemática?, explicou a Rosvita e me contratou. Lógico que não foi tão rápido assim, mas hoje trabalhamos juntas e brincamos muito com essa história. A Rosvita também nasceu em Sapiranga.”
“Fiz MBA em Derivativos no primeiro curso da parceria FIA/USP, BM&F e ANJ. Comecei em maio de 1987, na sucursal da Gazeta Mercantil em Brasília, como repórter de Energia e Transportes. Em janeiro de 1988, fui transferida (a pedido) para a sede em São Paulo. Fiquei na editoria de Indústria, depois, voltei para Energia e, no fim, estava em Trabalho. Em 1989 fui para a sucursal do Jornal do Brasil em São Paulo, como repórter de Economia.”
“Entre 1991 e 1993, trabalhei no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP) e, em dezembro de 1993, voltei para a sucursal paulista do JB, como repórter de Economia, seguindo em junho de 1994 para o Estadão, na mesma função, até 1999, quando passei a repórter especial. Em fevereiro de 2000 entrei no Valor Econômico, como repórter especial. Em maio de 2004, fui promovida a editora de Brasil, cargo ocupado até hoje.”
Em 2010, passou a coordenar o Curso de Jornalismo Valor Econômico, criado com o intuito de preparar jornalistas formandos e recém-formandos no universo do jornalismo econômico.
“Minha única atividade alheia ao jornalismo é remar. Já fui campeã com a equipe dos Renegados em um campeonato amador de rafting. Até aprendi a guiar o bote, mas não aconselho ninguém a descer um rio, mesmo de classe 3 (a mais baixa entre as classes de corredeiras que dão alguma emoção), comigo na direção do bote. Será caldo na certa. Não tenho parentes jornalistas, mas sempre me perguntam se sou parente do José Nêumanne Pinto (editorialista do Jornal da Tarde e colaborador de Opinião de O Estado de S. Paulo).? 
Atualizado em março de 2012 – Portal dos Jornalistas
Fonte:
Livro Jornalistas Brasileiros – Quem é Quem no Jornalismo de Economia (Mega Brasil/Call Comunicações, 2005)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *