Seis em cada dez municípios brasileiros não dispõem de informação jornalística local

Realizada pelo Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor), em parceria institucional com Abraji, Intercom e 22 escolas de jornalismo, e com o apoio do Facebook Journalism Project, a terceira edição do Atlas da Notícia indica o avanço de revolução digital sobre a imprensa local brasileira, um fenômeno marcado pela conjunção do fechamento de veículos impressos, a migração para o meio digital e o aumento dos chamados desertos de notícias, municípios sem a presença registrada de veículos jornalísticos.

O Atlas revela que, para cada dez municípios brasileiros, seis são desertos de notícias, ou seja, seus habitantes não dispõem de informação jornalística sobre o lugar onde vivem. Dos quatro restantes, outros dois são quase desertos, lugares servidos por até dois veículos de comunicação e com risco de se tornarem desertos. Essa é a realidade de 64,9 milhões de brasileiros.

A cargo do Volt Data Lab, liderado por Sérgio Spagnuolo, a pesquisa, análise e mapeamento desta edição incluem também a publicação de uma API (Interface de Programação de Aplicativos) para facilitar o acesso e utilização das informações geradas sobre a presença de veículos jornalísticos nos 5.570 municípios brasileiros. Segundo Sérgio, a construção da API do Atlas é inédita no jornalismo brasileiro: “Trata-se de um recurso muito utilizado por empresas de tecnologia, mas ainda pouco implementado dentro do segmento jornalístico. Essa ferramenta permitirá a implementação de aplicações, automatização de análises e gráficos e facilitação do uso dos dados do Atlas por pesquisadores”.

Desde o lançamento da pesquisa desta edição, em agosto, a coordenação do trabalho nas cinco regiões brasileiras é de responsabilidade de Sérgio Lüdtke, em conjunto com os pesquisadores regionais Angela Werdemberg (Centro-Oeste), Dubes Sônego (Sudeste), Jéssica Botelho (Norte), Marcelo Fontoura (Sul) e Mariama Correia (Nordeste). “Os dados agora reunidos pelos pesquisadores do Atlas da Notícia, com apoio de 193 colaboradores voluntários de escolas de jornalismo das cinco regiões, são uma base consistente para que pesquisadores de todo o Brasil possam orientar novas investigações”, diz Sérgio. “Esses dados permitirão detectar os caminhos trilhados mais recentemente pelo jornalismo e identificar necessidades das comunidades e oportunidades futuras que se abrem para os jornalistas profissionais no Brasil”.

As principais informações do Atlas 3.0 foram publicadas em edição especial do Observatório da Imprensa desta quarta-feira (11/12).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *