O Portal Metrópoles reuniu nessa terça-feira (16/2), Dia do Repórter, sete livros-reportagens que abordam temas e casos impactantes. Segundo o site, “o gênero jornalístico em pauta abraça a literatura e traz, na cobertura de histórias e personagens reais, sensibilidade, empatia e tom intimista. O livro-reportagem aprofunda-se em assuntos que não cabem na mídia convencional”.

Na lista estão obras dos brasileiros Eliane Brum, Daniela Arbex e Caco Barcellos, além dos americanos John Hersey, Bob Woodward e Carl Bernstein. A lista foi baseada em um post da Estante Virtual de 2019, que traz esses e outros títulos do gênero.

O Olho da Rua apresenta os bastidores de dez reportagens de Eliane Brum, com detalhes sobre entrevistas, personagens, locais visitados, e todos os dilemas e dores envolvidos nos temas dos textos, que fazem o repórter questionar sua própria jornada.

Rota 66, de Caco Barcellos, explica as origens e o funcionamento do sistema de extermínio “Esquadrão da Morte”, incluindo seus métodos e pensamentos. E o livro Todo dia a mesma noite, de Daniela Arbex, relembra e homenageia os 242 mortos no incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul.

A lista do Metrópoles cita também a obra Hiroshima, de John Hersey, que conta a história de seis sobreviventes da bomba atômica que matou 100 mil pessoas na cidade de Hiroshima, em 1945; e Todos os homens do presidente, de Bob Woodward e Carl Bernstein, que conta o processo de investigação dos repórteres sobre o Caso Watergate e como conseguiram revelar uma poderosa rede de espionagem e sabotagem montada dentro da Casa Branca.

Por fim, o texto do Metrópoles destaca A menina da quebrada, de Eliane Brum, e Holocausto brasileiro, de Daniela Arbex. 

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments