-4.1 C
Nova Iorque
domingo, janeiro 23, 2022

Buy now

Agressões contra jornalistas no Brasil aumentaram em 2018

De acordo com  relatório recente da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), os casos de agressões a jornalistas no Brasil cresceram 36,7% entre 2017 e 2018. Foram 135 ocorrências de violência, com 227 vítimas, segundo a entidade. Os principais agressores foram eleitores/manifestantes, responsáveis por 22,2% dos casos de agressão – no ano passado, o Brasil viveu uma campanha presidencial polarizada.

Os partidários do presidente Jair Bolsonaro foram os que mais agrediram jornalistas, de acordo com a Fenaj: eles foram responsáveis por 23 das 30 ocorrências que envolviam eleitores/manifestantes. Parte das agressões ocorreu durante dias de votação e comemorações da vitória. Outro acontecimento importante foi a greve dos caminhoneiros, que também contribuiu para o aumento das agressões. A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o estopim para violência contra jornalistas: a Fenaj contou sete casos de agressão em protestos contra a condenação e encarceramento de Lula. O episódio também motivou dois ataques por parte de policiais militares e uma ocorrência de censura quando o Supremo Tribunal Federal impediu que a imprensa entrevistasse o ex-presidente.

A maioria dos jornalistas vitimados no ano passado foi vítima de agressões físicas (24,4% das ocorrências), seguido de ameaças e intimidações (20,7%) e agressões verbais (20%). Os impedimentos ao exercício profissional também tiveram um aumento significativo e chegaram a 14,8% dos casos em 2018. Veja o relatório completo no site da Fenaj.

Related Articles

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
22,043FãsCurtir
3,134SeguidoresSeguir
19,100InscritosInscrever

Últimas notícias

pt_BRPortuguese