Renato Modernell

Renato Modernell, gaúcho, nasceu em 1953 na cidade portuária de Rio Grande, no extremo sul do Brasil. Cursou Jornalismo em São Paulo na FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado – Turma de 1975 e Mestrado na USP em 2004.

Morou em Roma e Barcelona, mas decidiu-se por São Paulo. Atuou em diversas revistas e jornais, realizando principalmente reportagens de viagem. Tornou-se professor universitário e doutorou-se em Letras. Ganhou o Jabuti e outros prêmios literários dentro e fora do país.

Trabalhou nas revistas Quatro Rodas, Globo Ciência, Época e Caminhos da Terra, entre outras publicações, realizando principalmente reportagens de viagem.

Dá aulas na Universidade Mackenzie e na Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL). Dirige oficinas de escrita criativa, colabora na imprensa e publica crônicas no blog Adjazzcências. Ganhou o Jabuti e outros prêmios literários dentro e fora do país.

Na lista de títulos que lançou estão: Meados dos anos setenta, em 1979. Em 84, Che Bandoneón e O homem do carro-motor. Em 1988, Meninos de Netuno e Sonata da última cidade. Na sequência vieram O grande ladrão, 1990; Os jornalistas, 1995; Edifício Mênfis, 1996 e Viagem ao pavio da vela, 2001. Logo depois do Em trânsito, em 2011 veio o Gird, no início de 2012.

Publicou em outubro de  2012, pela Summus Editorial, o livro ?A notícia como fábula?, no qual analisa um velho debate do jornalismo: as várias versões de um mesmo fato. É resultado de um estudo de mestrado na USP em 2004. No texto Renato passeia pela crônica e pela fantasia sem perder o rigor acadêmico.

 

Atualizado em outubro/2012 – Portal dos Jornalistas

 

Fontes:

 

J&Cia Edição 868, de 17 a 24 outubro/2012.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Renato_Modernell

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *