Jamildo Melo

Jamildo Pereira de Melo Júnior nasceu em 24 de julho de 1965, em Recife (PE). Em 1992, graduou-se em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco.

Começou no Jornalismo em junho de 1992, no Jornal do Commercio (PE), como estagiário de Economia: “Fui contratado depois de passar dois anos como estagiário neste mesmo jornal. Sempre trabalhei no Jornal do Commercio, no qual já fui repórter, subeditor de Economia e editor interino, depois passando a repórter especial”. Fez, ainda, matérias como freelancer para o jornal O Globo (RJ).

Desde fevereiro de 2006, edita o Blog de Jamildo, alocado no site do jornal no portal UOL.

Em 2000, foi finalista nacional do Prêmio Embratel, com a série SOS São Francisco, sobre os conflitos do uso múltiplo do rio. A mesma série venceu o Prêmio Cristina Tavares de Jornalismo, patrocinado pelo Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco.

Em 2001, ganhou, com Angela Fernando Belfort, o Prêmio Esso Regional Nordeste e o Prêmio Fiat Allis de Jornalismo Econômico, com a série O Desmonte da Malha Nordeste, mostrando os problemas da malha ferroviária após quatro anos de privatização. Em 2003, novamente com Angela, ganhou outra vez o Prêmio Fiat Allis de Jornalismo Econômico com a série Brasil a Ver Navios, sobre os custos portuários. A mesma série obteve o segundo lugar do Prêmio CNT de Jornalismo de Economia. Em 2004, ganhou o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, na categoria Reportagem de Jornal/Região Nordeste, com a série Anatomia da Violência, sobre a criminalidade em Pernambuco, feita em parceria com os repórteres Carlos Eduardo Santos, Ciara Carvalho, Diana Moura Barbosa, Eduardo Machado, João Valadares, Ricardo Novelino, Sérgio Montenegro Filho, Sílvio Menezes e Verônica Almeida.

Tem quatro livros publicados: “O primeiro foi A História do Artesanato de Pernambuco, em outubro de 2003, editado pela Assembléia Legislativa do Estado. O segundo, em 2004, em coautoria com outros repórteres do jornal, foi o Na Trilha do Golpe – 1964 Revisitado, editado pela Fundação Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais (Fundaj). Em maio de 2004, lancei, com a colega Angela Fernanda Belfort, Brasil a Ver Navios, sobre os custos portuários, editado pela Edições Bagaço, de Recife. Em abril de 2005, saiu o mais recente, A Paixão de Plínio. Trata-se da biografia do produtor cultural Plínio Pacheco, idealizador do maior teatro ao ar livre do mundo, em Nova Jerusalém, pela Edições Bagaço”.

 
 


Atualizado em maio de 2012 – Portal dos Jornalistas
Fonte:
Livro Jornalistas Brasileiros – Quem é Quem no Jornalismo de Economia (Mega Brasil/Call Comunicações, 2005).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *