Estudo diz que aumentaram ansiedade e estresse de jornalistas na pandemia

A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) realizou uma pesquisa sobre condições de trabalho de jornalistas em meio à pandemia do coronavírus. Os resultados evidenciaram, entre outros itens, uma mudança significativa no fator psicológico dos jornalistas: dos 295 participantes, 177 relataram aumento da ansiedade e do estresse, o equivalente a aproximadamente 61%. Vale lembrar que cerca de 22% do total de jornalistas entrevistados são brasileiros e que aqui no Brasil a pesquisa foi aplicada pela Fenaj.

Ela também questionou temas como mudanças em questões financeiras e restrições ao exercício da profissão. Quase 60% dos entrevistados relataram reduções nos salários, e cerca de 70%, que enfrentaram impactos negativos no trabalho. Outros dados relevantes do estudo da FIJ são que 108 jornalistas foram deslocados para outras editorias; 21 foram demitidos; aproximadamente 16% relataram falta de equipamento de proteção para trabalho externo; e quase 10% disseram não ter ocorrido nenhuma mudança no trabalho durante a pandemia.

A Fenaj está fazendo uma nova pesquisa, para mapear as condições de trabalho e os casos de coronavírus entre os jornalistas do País. Participe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *