Comissão define homenageados do 39º Vladimir Herzog

A Comissão Organizadora do 39º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos anunciou que agraciará com o Prêmio Vladimir Herzog Especial os jornalistas Rose Nogueira e Tim Lopes, além do cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, os dois últimos in memoriam. A homenagem será feita na cerimônia de entrega do prêmio, em 31 de outubro.

Repórter investigativo e produtor da Rede Globo, Tim Lopes foi identificado como jornalista, sequestrado, torturado e morto por traficantes em junho de 2002, enquanto fazia reportagem sobre tráfico de drogas e abuso sexual de menores no Complexo do Alemão. “Sua partida precoce mostrou ao grande público a face mais cruel dos ataques à liberdade de expressão no país”, destaca o secretário-executivo da Abraji Guilherme Alpendre, entidade criada a partir da morte de Lopes. “Infelizmente o Brasil de 2017 não é muito diferente do Brasil de 2002. Apesar das nossas lutas, até hoje repórteres brasileiros são alvos de censura, agressões, ameaças e, infelizmente, assassinatos”.

Com mais de cinco décadas dedicadas ao jornalismo e à defesa dos direitos humanos no Brasil, Rose Nogueira passou pelas redações de Folha de S.Paulo, Quatro Rodas, TV Cultura, TV Brasil e Rede Globo, onde idealizou e dirigiu o programa TV Mulher, referência na abordagem de sexualidade e feminismo nos anos 1980. Na juventude, apoiou a Ação Libertadora Nacional e, em 1969, foi presa pela ditadura civil-militar. Hoje é membro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana e do Grupo Tortura Nunca Mais SP, além de conselheira fiscal do Sindicato dos Jornalistas de SP.

Publicidade

Já o cardeal franciscano D. Paulo Evaristo Arns ficou conhecido pela atuação voltada às periferias, aos trabalhadores e à defesa dos direitos humanos. Foi uma das pessoas mais influentes da Igreja Católica e sociedade brasileiras, especialmente durante a ditadura, quando ajudou a libertar presos políticos. Criou a Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo, coordenou o projeto Brasil Nunca Mais e foi o realizador do culto ecumênico em memória de Vladimir Herzog em outubro de 1975, após a morte do jornalista. D. Paulo faleceu no ano passado, vítima de broncopneumonia.

Prêmio Vladimir Herzog – A cerimônia de entrega será no Tucarena (rua Monte Alegre, 1.024), em São Paulo. Neste ano, o concurso bateu um novo recorde de trabalhos inscritos: 634. A Sessão Pública de Julgamento, em que serão divulgados os trabalhos vencedores, ocorre em 9/10, das 10h às 14h, na Câmara Municipal de São Paulo, com transmissão pela internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *