Mercado formal do jornalismo encolhe em SP, diz pesquisa

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) fez para o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) um relatório sobre os efeitos da crise no jornalismo para os profissionais da área. Segundo o estudo, que analisou dados de 2004 a 2018, o número de jornalistas com carteira assinada vem diminuindo desde 2013: Em 2018, foram registrados aproximadamente 13 mil profissionais, número que corresponde a uma redução de 20% do total de empregos com carteira assinada registrados em 2013 (pouco mais de 16 mil – maior número registrado no estudo).

A pesquisa aponta que o setor mais afetado é o de Jornais e Revistas, cujos empregos diminuíram drasticamente: Desde 2013, quando existiam aproximadamente três mil empregados, o segmento perdeu mais de dois mil empregos, e em 2018 registrava apenas 1.173 jornalistas com carteira assinada na área. O setor de Rádio e TV é o que mais se manteve estável em relação ao número de empregos registrados.

A função com maior índice de registro em carteira é a de editor (23%). Com apenas 4%, repórteres de Rádio e TV e produtores de texto representam os menores índices. Outro dado relevante é que a maioria absoluta dos profissionais atua em empresas privadas, cerca de 76% do total. O setor público corresponde a aproximadamente 10%.

Confira a pesquisa na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *