Fenaj faz campanha de denúncias pelo Dia da Mulher

A Fenaj lançou nas redações uma campanha de combate à violência de gênero e aos ataques a jornalistas. Pretendia, assim, fazer uma denúncia pública das violações ao trabalho das profissionais, e do assédio moral e sexual, entre outros. Chamou também às ruas as mulheres – no domingo (8/3), o 8M, Dia Internacional da Mulher, e na segunda-feira (9/3) – vestindo camisetas lilás com a frase: Lute como uma jornalista. Os sindicatos fizeram camisas para os associados nos estados de Bahia, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo; e nos municípios de Dourados (MS), Londrina (PR) e Rio de Janeiro (RJ).

O caso mais recente e notório ocorreu com Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo, agredida pelo presidente da República, que atacou injustamente a dignidade da profissional pela sua condição de mulher, com insinuações de cunho sexual. Patrícia aparece em terceiro lugar numa lista que reúne os dez casos mais graves de ataques feitos a jornalistas no mundo, conforme noticiou o jornal O Dia. O índice foi montado pela organização internacional One Free Press Coalition e tem por objetivo chamar a atenção para episódios de perseguição aos profissionais da imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *