Abraji entrevista jornalista paraguaio sobre os perigos nas fronteiras dominadas pelo PCC

Cándido Figueredo

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) publicou uma entrevista com o jornalista paraguaio Cándido Figueredo, que vive na cidade de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com a cidade de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. Ele falou sobre os perigos e ameaças frequentes que recebe ao denunciar a violência e o tráfico de drogas da região, dominada pela organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Cándido contou que já teve a casa metralhada em duas ocasiões. Ele vive com escolta armada há 25 anos por causa dos perigos da região e ameaças que recebe diariamente.

O vídeo, chamado de Jornalismo na fronteira, foi produzido por Sérgio Ramalho e Angelina Nunes.Elesfizeram reportagens sobre o assassinato do jornalista brasileiro Léo Veras, executado enquanto jantava com a família em fevereiro. A entrevista com Cándido é fruto de um dos encontros entre os jornalistas brasileiros e o paraguaio.

“Hoje, a facção paulista PCC dita regras na região, que segue como principal porta de entrada de drogas e armas negociadas no Sudeste. Léo Veras relatava essa movimentação e, infelizmente, acabou assassinado”, explicou Ramalho. (Veja+)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *