Jornalista brasileiro é assassinado na fronteira de MS com o Paraguai

Léo Veras

Léo Veras (Ponta Porã News/MS) foi executado nessa quarta-feira (12/2) na cidade paraguaia Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul. Ele noticiava ocorrências relacionadas ao tráfico de drogas na região, e vinha sofrendo diversas ameaças devido ao conteúdo que publicava.

Segundo a Polícia Nacional do Paraguai, por volta das 21h, dois pistoleiros encapuzados invadiram a residência de Veras, que estava jantando com a família, e fizeram 12 disparos contra o jornalista. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

Marco Amarilla, promotor responsável pelo caso, afirmou que Veras já sabia que iriam matá-lo, e chegou até a se despedir de sua esposa: “Em uma conversa que manteve com sua esposa, ele disse: ‘Amor, se cuida, cuida das crianças’. Praticamente se despede da família. Ou seja, já sabia que iriam matá-lo”. Um amigo de Veras, que não quis se identificar, confirmou ao G1 que o jornalista estava muito nervoso e tenso nos últimos dias, e que estava sendo ameaçado frequentemente.

O Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso do Sul lamentou a morte de Léo Veras e se solidarizou com a família e amigos, afirmando que o jornalista foi “mais uma vítima dos ataques contra os trabalhadores da comunicação, nestes tristes tempos de cerceamento da liberdade de expressão”.

Em nota conjunta, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Nacional de Editores e Revistas (Aner) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) lamentaram o assassinato de Veras: “As entidades se solidarizam com a família, os amigos e os colegas do jornalista, e esperam que as autoridades do Paraguai e do Brasil esclareçam o caso com celeridade e que os responsáveis pelo crime sejam encaminhados à Justiça e punidos nos termos da lei”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *