Paulo Fona dura apenas seis dias como secretário de Imprensa de Bolsonaro

Paulo Fona

Seis dias após ser nomeado titular da Secretaria de Imprensa pelo presidente Jair Bolsonaro, Paulo Fona foi exonerado do cargo nessa terça-feira (13/8). A decisão pegou o próprio jornalista de surpresa: “O desafio era imenso, sempre soube, mas esperava maior profissionalismo, o que não encontrei. Em todos os governos que passei, de diferentes partidos – MDB, PSDB e PSB –, sempre trabalhei com o objetivo de tornar a comunicação mais ágil, eficiente e transparente, e leal às propostas da gestão”.

Fona foi chefe de Comunicação do Governo do Distrito Federal nas gestões de Joaquim Roriz e de Rodrigo Rollemberg. Com a derrota deste nas urnas no ano passado, acabou nomeado assessor parlamentar júnior na liderança do PSB no Senado. Entre 2007 e 2009, atuou como secretário de Comunicação e porta-voz do governo do Rio Grande do Sul, durante o mandato de Yeda Crusius.

Em nota, Fona disse que foi convidado para assumir a Secretaria de Imprensa no mês passado e alertou o Palácio do Planalto do “meu histórico e minha postura profissional e a intenção de ajudar na melhoria do relacionamento com a mídia em geral”. “Construí minha carreira profissional com meus próprios méritos e defeitos. Obrigado a todos os jornalistas que me acolheram de maneira calorosa e esperançosa de que o relacionamento mudaria”, agradeceu, ao final do texto.

(Com informações do Metrópoles)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *