De papo pro ar ? Distração

Por Assis Ângelo, jornalista, estudioso da cultura popular e presidente do Instituto Memória Brasil. Houve um tempo em que o sambista carioca Martinho da Vila tomava todas e mais algumas e por isso, naturalmente, costumava se esquecer de, digamos, alguns detalhes ocasionais. Um dia, ressacado, desembarcou no Aeroporto do Galeão com cara de paisagem, meio tonto.

Um funcionário do aeroporto, solícito, se ofereceu para ir buscar o seu carro, um Alfa, que ele imaginava ter sido roubado. A resposta ao funcionário foi reticente, mecânica: Claro, claro. Havia dois meses que ele esquecera o automóvel na garagem do aeroporto, e qual não foi seu espanto quando o solícito funcionário trouxe o automóvel de volta e o entregou, rindo, com o motor ligado.