Justiça do Rio anula eleição da ABI 

A juíza Maria da Glória Bandeira de Melo anulou a eleição para a diretoria da ABI, realizada em abril passado. Seu argumento foi “a inadmissível desigualdade no tratamento entre a chapa da situação, Prudente de Morais, e a concorrente, Vladimir Herzog, (…) com o nítido propósito de afastar esta última da disputa”. A chapa de oposição, encabeçada por Domingos Meirelles, foi impedida de concorrer e entrou com uma ação para cancelar o processo eleitoral. Enquanto a ação era julgada, a eleição foi realizada sub judice, em 26/4, com chapa única, tendo à frente Maurício Azêdo. No processo, a chapa Vladimir Herzog alegava irregularidades na formação da Comissão Eleitoral da ABI, e a juíza determinou que fosse realizado o pleito em caráter condicional, até que a entidade apresentasse sua defesa. Na ocasião, fez a ressalva de que, se as acusações fossem acatadas, a eleição perderia a validade. O próximo passo será reunir o Conselho Deliberativo, para formar uma nova comissão eleitoral, que vai convocar eleições por meio de edital. Até lá, continua no cargo a diretoria anterior a essa disputa. Vale registrar que cabe recurso da decisão, segundo apurou Jornalistas&Cia.