Josemar Gimenez assume, em São Paulo, nova estrutura dos Diários Associados

Josemar Gimenez deixa a ponte aérea Belo Horizonte-Brasília nos próximos dias e monta residência em São Paulo, onde assumirá uma nova posição no estafe dos Diários Associados. O objetivo é consolidar a presença da organização no maior mercado do País e desenvolver novas alianças econômicas com vistas aos vários produtos e projetos dos Diários, especialmente em Brasília, onde o Correio Braziliense é líder.

Com a mudança, deixa o dia a dia das redações e o comando do Correio Braziliense e do Estado de Minas, mas não será substituído. Os atuais editores-chefes dos dois jornais (Ana Dubeaux, no Correio, e Carlos Marcelo Carvalho, no EM) ficarão responsáveis pela edição e ele se libera para suas novas atividades.

Josemar volta à cidade onde morou de 1990 a 2000, atuando primeiramente na sucursal São Paulo de O Globo, ocupando os cargos de coordenador do caderno de Economia e chefe de Redação, e depois no Diário Popular, então dirigido por Orestes Quércia, como diretor de Redação.

Em novembro de 2000 deixou São Paulo para trabalhar nos Diários, como diretor de Redação do Estado de Minas. Pouco tempo depois, com a saída de Ricardo Noblat do Correio Braziliense, em outubro de 2002, assumiu também o Correio Braziliense, sendo em seguida eleito para o cargo vitalício de condômino da organização.

A montagem de uma estrutura mais robusta e representativa em São Paulo é antiga aspiração dos Diários, que agora se materializa com a indicação de um de seus principais executivos para tocar o negócio. Josemar tem como objetivos construir novas pontes com lideranças e empresários do setor privado e ampliar as relações políticas nos três níveis do Executivo, movimento estratégico para consolidar o perfil de uma organização pluralista e apartidária e para desfazer a imagem de ser “pró Aécio Neves”, como se ventila no mundo político.