Jornalista relata ameaças após crítica a Bolsonaro

O jornalista gaúcho Roberto Carlos Dias registrou Boletim de Ocorrência por causa de uma série de ameaças que vem sofrendo após criticar em sua conta no Facebook eleitores e o pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro. Morador de Caxias do Sul e diretor do Sindicado dos Jornalistas do RS, ele escreveu em 21 de março:  “Não adianta lamentar a morte de uma criança estuprada e defender o Bolsonaro, réu em dois processos por apologia ao estupro”.

Dias relata que, após a publicação, uma série de comentários raivosos e intimidadores foram feitos no próprio post. Dias mais tarde, as ameaças teriam deixado a esfera virtual e chegado à pessoal, quando ele teria recebido ameaças de um taxista em sua cidade. Além disso, afirma que foi adicionado a um grupo de WhatsApp no qual integrantes fizeram ameaças à sua integridade física.

O caso passou a ser tratado nas comissões de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Caxias de Sul e da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. “Eles alcançam o objetivo deles. Eu não saio mais à noite, vivo um exílio dentro de casa. Tenho uma filha de 13 anos, tudo isso me tira o sono”, afirmou. “A gente não pode se calar. Tenho um advogado que está trabalhando no caso. Essas pessoas não podem ficar impunes. Eu estou vivendo sob medo”.

Na próxima segunda-feira (7/5), o deputado Pedro Ruas (PSOL) irá a Caxias do Sul para conversar com o titular da Delegacia de Polícia onde o B.O.  foi registrado. O deputado deverá procurar também o Ministério Público Estadual para que o órgão acompanhe as investigações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *