Correio Braziliense tem menção honrosa no Vladimir Herzog e põe cinco reportagens na final do CNT

O Correio Braziliense comemorou o recebimento, em 9/10, de menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, na categoria Produção em texto, com a série Brasília Confidencial, publicada em fevereiro.

As reportagens mostraram com exclusividade o que de mais significativo havia em meio a quase 100 caixas de documentos de diversos órgãos de repressão, incluindo o temido DOI-Codi, com informações de 1963 a 1990, guardadas há mais de 50 anos e garimpadas pelos repórteres Renato Alves, Helena Mader e Adriana Bernardes. Os documentos até, então sigilosos, foram abertos pelo Arquivo Público do DF neste ano. O Correio foi o primeiro veículo de comunicação a publicar esse conteúdo.

E cinco reportagens do jornal estão entre as finalistas do Prêmio CNT de Jornalismo, que reconhece os melhores trabalhos sobre a realidade do transporte no País. Elas concorrem nas categorias Impresso, Internet e Meio Ambiente. Em Impresso, com os especiais Motociclistas, jovens e condenados à morte, de Adriana Bernardes; e Um país fora dos trilhos, de Leonardo Cavalcanti, Natália Lambert e Margareth Lourenço. Braitner Moreira disputa o prêmio na categoria Internet com a reportagem Compre em casa, receba voando, que trata da revolução dos drones e como essa tecnologia pode se tornar solução para o transporte de cargas. Em Meio Ambiente, são finalistas O caminho sustentável da água, de Luiz Calcagno, Walder Galvão e Pedro Grigori, e Ciclovias em busca de uma cidade, de Natália Lambert, Leonardo Cavalcanti, Aline Brito e Maiza Santos.

Também no CNT, o Metrópoles é finalista em duas categorias; em Internet, com Transbrasil, um embarque para o crime nas rodovias brasileiras; e em Meio Ambiente, com A poluição oleosa que sai do seu carro e contamina a capital do país. As reportagens tiveram, cada uma, o envolvimento de 17 profissionais, entre repórteres, editores, fotógrafos, cinegrafistas, artistas gráficos, programadores visuais e revisores.

A Comissão Julgadora do prêmio é formada por Cristiano Romero (Valor Econômico), Silvia Salek (BBC Brasil em Londres), Dimmi Amora (Agência Infra), Helcio Zolini (Record Minas) e pelo especialista em transporte Carlos Campos Neto (Ipea). O resultado final sairá em meados de novembro, com cerimônia de premiação marcada para 6/12, em Brasília.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *