Veja, Época, Folha e Estado trocam editores de Política

As editorias de Política de Veja, Época, Folha e Estadão fizeram uma aparentemente sincronizada dança das cadeiras nas últimas semanas. O processo se iniciou com a saída de Fabio Portela da revista da Abril há cerca de um mês, para a Coordenação de Imprensa da campanha de José Serra à Prefeitura de São Paulo. Para seu lugar foi contratado Pedro Dias Leite, que começou na última semana como editor de Brasil. Havia mais de dez anos na Folha de S.Paulo, Pedro retornara ao caderno Poder, onde era editor-assistente, após um ano atuando como editorialista do jornal. Para sua vaga foi contratado Ricardo Mendonça, que estava havia quase dez anos em Época, ali atuando como editor de Brasil. Ainda na Folha, Alencar Izidoro, que estava em Cotidiano, assume como editor-assistente em Poder. Para a vaga de Mendonça em Época, segue José Alberto Bombig, que deve deixar o cargo de editor-adjunto de Política no Estadão nesta 6ª.feira (1º/6). Retorna, assim, à revista, por onde já passara em 2010. Para sua vaga chega Conrado Corsalette, que era adjunto de Cotidiano da Folha até esta 2ª.feira (28/5). Ele também retorna à casa onde já atuara na reportagem, entre 2000 e 2004. A editora Malu Delgado entra em licença-maternidade nas próximas semanas. Ainda não foram definidos substitutos para as vagas de Conrado e Izidoro. Também trocam posições profissionais do Grupo Estado e da Ejesa. A editoria de Defesa do Consumidor do Jornal da Tarde deixa de contar com Carolina Marcelino, que vai cobrir Empresas no Brasil Econômico. Ela será substituída por Monique Abrantes, que fechava a página dois e as Cartas do Leitor do jornal. No sentido inverso, José Gabriel Navarro deixou o setor de macroeconomia do Brasil Econômico e foi para Defesa do Consumidor do JT. Ele ocupa a vaga que era de Saulo Luz, deslocado para Economia, dentro do próprio jornal, ocupando o lugar de Ligia Tuon, que agora cobre o assunto para o portal Estadão.com.br. Ainda no Grupo Estado, Naiana Oscar retorna ao caderno de Economia do Estadão após um ano na revista Exame; e Ana Luísa Westphalen chega para a Agência Estado, vinda do Valor Econômico.