Os brasileiros na investigação dos #PanamaPapers

Há vários brasileiros entre os 374 repórteres de 109 veículos de comunicação de 76 países alocados para o grande esforço de jornalismo investigativo sobre os Panama Papers. Artigo de Dorrit Harazim em O Globo de 10/4 menciona o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) – com sede em Washington, nos Estados Unidos, e 20 anos de experiência na coordenação de trabalhos transnacionais – como a instituição a que recorreu Bastian Obermeyer, do alemão Süddeutsche Zeitung, para conseguir lidar com os 2,6 terabytes de dados que recebeu, no final de 2014, de um informante anônimo. Gerald Ryle, diretor do ICIJ, pretendia usar as informações no que chamou de “jornalismo responsável”, diferentemente dos WikiLeaks de Julian Assange e do material bruto que aparece na internet. Desde o início do trabalho, no Brasil, Fernando Rodrigues, do UOL, e os outros membros do Conselho do ICIJ, procuraram veículos com profissionais dispostos a mergulhar no assunto. Nem todos aceitaram o convite: nos Estados Unidos, The New York Times, Washington Post e Wall Street Journal preferiram ficar de fora. No Brasil, entre os jornalistas que hoje participam da investigação, temos: André Shalders, Mateus Netzel e Douglas Pereira, no UOL, além do próprio Fernando; José Roberto de Toledo, Daniel Bramatti, Rodrigo Burgarelli, Guilherme Duarte e Isabela Bonfim, no Estadão; e Diego Vega e Mauro Tagliaferri, na RedeTV. Em maio, serão divulgados os primeiros dados estruturados pela enorme equipe espalhada por todos os continentes. Videogame – Dado curioso é que o ICIJ criou um videogame baseado nos Panama Papers intitulado Stairway to Tax Heaven (Escada para o paraíso fiscal), nome que parodia Starway To Heaven, mais famosa música do grupo de rock Led Zeppelin. Quem quiser jogar deve escolher um de três personagens no mundo secreto das offshores: jogador de futebol, político (no caso, uma mulher) ou homem negócios. Diz o site do jogo que “seu objetivo é navegar nesse universo paralelo e esconder o seu dinheiro. Não se preocupe! Advogados, gerenciadores de fortunas e banqueiros estão aqui para te ajudar. Escolha um jogador e não seja pego”.