Luis Nassif é intimado após críticas a Wilson Witzel


“Continuamos na trincheira dos direitos fundamentais e do direito à vida, e repetindo uma coisa que é de uma obviedade avassaladora: Witzel é um genocida”, reafirmou Luis Nassif.

Agentes da 3ª Delegacia de Investigações Interestaduais de São Paulo entregaram na última quinta-feira (7/11) uma intimação a Luis Nassif, editor-chefe do Jornal GGN, por causa de declarações do jornalista contra o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC). Crítico ferrenho das políticas de segurança pública adotadas por Witzel, Nassif tem taxado o político como genocida por estimular a polícia a matar indiscriminadamente.

“Peço desculpa ao governador Wilson Witzel se ele se sentiu ofendido, mas tem um jeito simples de resolver essa situação: é ele deixar de ser genocida”, afirmou Nassif, em nota publicada no GGN. Ele considerou a ação da Polícia Civil paulista como intimidação, uma vez que um dos policiais ostentava uma arma na cintura no momento da entrega da intimação.

Em vídeo sobre o episódio, Nassif reafirmou que o conceito de genocida aplica-se perfeitamente a Witzel: “É genocida o sujeito responsável pela proliferação de mortes indistintamente”.

Até o momento, ABI e OAB/RJ emitiram notas em solidariedade ao jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *