23.9 C
Nova Iorque
sábado, julho 13, 2024

Buy now

Empresa de limpeza pode fazer trabalho jornalístico?

Com a palavra, o TSE Está causando indignação no mercado a notícia publicada em O Globo dessa 3ª.feira (23/2) de que o Tribunal Superior Eleitoral contratou por meio de licitação, realizada em 2014, uma empresa de limpeza para fazer o trabalho jornalístico durante as eleições. Segundo o jornal, há informações de que o Tribunal pagou R$ 2 milhões, por um ano, pelos serviços da empresa Liderança Limpeza e Conservação. A Abracom anunciou que pretende questionar judicialmente o resultado da licitação. Carlos Henrique Carvalho, presidente-executivo da entidade, explicou que alguns órgãos federais utilizam o pregão eletrônico para a contratação de serviços de comunicação. Porém, esse tipo de licitação acaba levando em conta apenas o melhor preço, sem a questão técnica: “Isso abre espaço para que empresas de terceirização, sem experiência no setor, ganhem as licitações oferecendo apenas os postos de trabalho. É uma forma disfarçada de contratar sem concurso público”. O Sindicato dos Jornalistas do DF também comentou o caso. Para Jonas Valente, coordenador-geral da entidade, o ideal seria a realização de concurso público para a prestação de serviços de comunicação: “Defendemos o concurso em primeiro lugar. Mas, quando não é possível, que sejam ao menos contratadas empresas que têm atuação no setor de comunicação. É algo que nos preocupa já faz tempo, temos conseguido interlocução com alguns órgãos, mas infelizmente ainda não existe uma diretriz única no governo”.

Related Articles

22,043FãsCurtir
3,912SeguidoresSeguir
21,900InscritosInscrever

Últimas notícias

pt_BRPortuguese