ANJ, CPJ e Abraji pedem investigação sobre atentado à sede do VipSocial, em Florianópolis

Criminosos deixaram um bilhete de intimidação -Reprodução/VipSocial

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) solicitou as autoridades brasileiras para investigarem o atentado contra a sede do site de notícias VipSocial, em Florianópolis, e levarem os responsáveis à justiça. Criminosos dispararam contra a sede do portal na noite de 12 de julho. Segundo a Polícia Militar, foram aproximadamente 20 tiros contra o prédio, que ficou com vidros estilhaçados e marcas na fachada. O local estava vazio no momento do atentado e ninguém ficou ferido. Repórteres informaram que os responsáveis pelo atentado deixaram uma nota que dizia: “Se você continuar apoiando o lado errado, sofrerá as consequências”.

“As autoridades brasileiras devem agir imediatamente para levar à justiça os responsáveis ​​pelo ataque ao edifício da sede do VipSocial”, disse em Nova York Natalie Southwick, coordenadora do programa das Américas Central e Sul do Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ). “Os jornalistas brasileiros devem ser livres para investigar questões de interesse público sem enfrentar retaliações violentas e não devem temer por sua segurança em seus locais de trabalho”.

O VipSocial reporta notícias locais e publicou em 12/7 reportagem sobre uma operação policial que matou um suposto membro de uma gangue regional de tráfico de drogas, o Primeiro Grupo Catarinense (PGC). A equipe do site disse ao CPJ acreditar que o ataque seja uma represália pela cobertura da operação. A Abraji também condenou a ação e pediu providências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *