World Press Photo abre exposição com imagem polêmica

A exposição de fotojornalismo World Press Photo 2012, que teve abertura em 20/5, este ano veio cercada de polêmica. O sueco Paul Hansen, do jornal Dagens Nyheter, grande vencedor do concurso com a fotografia do funeral de crianças mortas durante um ataque à Faixa de Gaza, foi acusado de manipulação dessa imagem, que seria a sobreposição de três diferentes flagrantes. A organização contratou uma perícia e, com base nesse parecer, o júri decidiu manter o prêmio. Na categoria Vida cotidiana, o que surgiu foi um retrato realista da crise por que passa a União Europeia. O ganhador, o português Daniel Rodrigues, estava desempregado e vendendo o equipamento para pagar as contas. Com a notoriedade, logo conseguiu trabalho na Câmara de Lisboa. Além dessas e outras fotos, O Globo apresenta, pelo quinto ano, o salão Sem legendas, com a projeção das melhores fotos publicadas no jornal em 2012, e três documentários em full HD produzidos por fotógrafos da casa. A mostra fica até 23/6 na livraria da Caixa Cultural (av. Almirante Barroso, 25). No dia 2/6 haverá um debate no Oi Futuro (rua Visconde de Pirajá, 54, 3º), com a presença do brasileiro Felipe Dana, da Associated Press, e do belga Frederik Buyckx, da National Geographic, ambos recebedores de menção honrosa por fotos sobre segurança pública no Rio, já na edição 2013. O encontro será mediado por Ricardo Mello, editor de imagens multiplataforma de O Globo, com a participação de Alexandre Sassaki, editor de Fotografia do jornal.