Os mais vitoriosos de todos os tempos ? Região Sudeste

Mais premiado de todo o Brasil, José Hamilton Ribeiro lidera Sudeste, seguido de Miriam Leitão, Caco Barcellos, Eliane Brum e João Antonio de Barros A menos de dois anos de completar 80 anos de idade e 60 de carreira jornalística, José Hamilton Ribeiro, inspirador deste Jornalistas&Cia, é o mais premiado jornalista brasileiro de todos os tempos, condição que também lhe dá a liderança do Sudeste, onde estão concentrados os principais veículos do País e a esmagadora maioria dos jornalistas brasileiros. Com os 965 pontos conquistados nessas quase seis décadas de atividade – mais da metade no Globo Rural, onde está desde 1981 –, Zé Hamilton acumula, neste ranking, 24 prêmios, entre eles oito Esso, um Maria Moors Cabot, dois Embratel, um Vladimir Herzog, dois José Reis, um Abraji, um Líbero Badaró e um Claudio Abramo. Em segundo lugar vem Miriam Leitão, com 830 pontos e coincidentemente com também 24 conquistas, entre elas um Maria Moors Cabot, um Esso, um Jabuti, um Ayrton Senna, oito Comunique-se e oito Mulher Imprensa. O terceiro colocado no Sudeste é o repórter Caco Barcellos, que há anos comanda o Profissão Repórter na TV Globo, um dos programas jornalísticos de maior sucesso da televisão brasileira. Caco alcançou a marca de 780 pontos, fruto de 22 prêmios conquistados nos seus mais de 40 anos de atuação. Sua galeria tem, entre outros, dois Jabuti, seis Líbero Badaró, cinco Vladimir Herzog, cinco Comunique-se e um Embratel. Curiosamente, embora seja um dos mais premiados jornalistas brasileiros, Caco ainda não ganhou o Esso. Certamente, seu Profissão Repórter já é merecedor ao menos de um Esso de Melhor Contribuição à Imprensa, pelo esforço em formar jovens talentos e mostrar o trabalho deles em horário nobre e na mais importante emissora de televisão brasileira. Fica a sugestão. Em quarto lugar vem Eliane Brum, com 730 pontos, e aqui cabe uma explicação: segunda colocada no ranking nacional na versão todos os tempos, com 860 pontos, Eliane tem 130 deles vinculados à Região Sul, pois foram conquistados nos tempos em que atuava na imprensa gaúcha, no jornal Zero Hora. Ela tem 24 prêmios contabilizados pelo Ranking J&Cia, entre eles os internacionais Rei de Espanha e SIP, dois Esso, um Jabuti, cinco Vladimir Herzog, um Líbero Badaró, um Ayrton Senna, três Comunique-se e dois Mulher Imprensa. Quinto colocado, João Antônio de Barros é o único, entre os primeiros, sem qualquer ligação com as Organizações Globo. Seus 15 prêmios, que lhe garantiram 685 pontos no Ranking J&Cia, foram conquistados pelo jornal O Dia, do Rio de Janeiro. João Antônio é dono de nada menos que seis prêmios internacionais: um Maria Moors Cabot, quatro SIP e um Lorenzo Natali. Além deles, tem três Esso, três Líbero Badaró e um CNT. Na sequência vêm Marcelo Canellas (557,5 pontos) em 6º, Clóvis Rossi (550) em 7º, Gilberto Dimenstein (480) em 8º, Mônica Bergamo e Sérgio Ramalho Araújo (402,5) empatados em 9º, Angelina Nunes, Juca Kfouri e Ricardo Boechat (372,5) empatados em 11º, Domingos Meirelles (370) em 14º e Dorrit Harazim (357,5) em 15º. Seguem os 100 mais vitoriosos jornalistas de todos os tempos da Região Sudeste:

Workshop Mega Brasil