-4.2 C
Nova Iorque
domingo, janeiro 23, 2022

Buy now

Márcia Carmo: reflexos da guerra entre governo e imprensa argentina

Por Márcia Carmo ([email protected]), direto de Buenos Aires, especial para Portal dos Jornalistas A era de agitação continua para a imprensa argentina. A revista Notícias, que chegou às bancas no fim de semana, publicou reportagem de capa sobre o empresário Sergio Szpolski, que reuniria, afirma-se, ?o maior conglomerado de meios de comunicação simpatizantes do governo?. Segundo a publicação, o Grupo Veintitrés teria crescido ?de forma exponencial? graças à publicidade oficial desde que o casal Kirchner chegou à Presidência em 2003. O Grupo Veintitrés reúne os jornais El Argentino, Tiempo Argentino, as revistas Veintitrés, Newsweek Argentina, Forbes (argentina), a rádio América e a emissora de TV CN23, entre outros. De acordo com a Notícias, aos que perguntam sobre a fortaleza dos seus negócios, Szpolski responde: ?Não sou empresário de meios de comunicação kirchneristas. Sou um empresário do ramo da comunicação que acredita na governabilidade do país?. A discussão sobre a distribuição da publicidade do governo nacional foi parar na Justiça. O Grupo Perfil, do qual a Notícias faz parte, apelou aos tribunais para tentar ser incluído na distribuição desses recursos da publicidade oficial. Essa é uma das tantas disputas envolvendo hoje o governo central e empresas de imprensa. Neste início de ano, existe expectativa nos jornais Clarín e La Nación para saber como será aplicada a medida do governo que prevê ?controle da produção, distribuição e importação de papel jornal?, a partir deste mês de fevereiro. Os dois jornais juntos detêm a maioria acionária da empresa Papel Prensa, única fabricante de papel jornal do país, mas que depende de importação para atender à demanda total. Nessa guerra de nervos, o Clarín publicou, segunda-feira, que o governo teria designado, nos últimos três meses, quarenta empregados para ?avaliar os meios de comunicação?. ?Eles controlam a informação sobre o governo nos jornais, rádios, tevês e na internet?, afirma-se. Aos estrangeiros que cobrem as notícias argentinas fica o desafio de tentar acompanhar os jornais tradicionais e a fragmentação que surgiu nestes tempos onde a palavra jornalista deixou de ser admirada em alguns setores e onde continuam raras as entrevistas das autoridades do governo à imprensa. América do Sul, uma viagem para brasileiros Márcia, a propósito, acaba de lançar pela editora DBA, de São Paulo, América do Sul, uma viagem para brasileiros, em que aborda o comportamento dos nossos vizinhos e dá dicas de hotéis, restaurantes, passeios e ainda receitas culinárias e um glossário mostrando como é fácil derrapar no portunhol. Diz ela: ?Na Argentina, os homens se beijam. No Chile, eles chamam as esposas de ?mi senhora?. Em La Paz, recomenda-se comer poquito, andar despacito y dormir solito. Em Punta del Este, aumentam os points do glamour?. Por enquanto, o livro só está à venda na Livraria Cultura e no site da editora, mas deve chegar a outras livrarias em breve.

Related Articles

22,043FãsCurtir
3,134SeguidoresSeguir
19,100InscritosInscrever

Últimas notícias

pt_BRPortuguese