Beth Barra

    0
    2122

    Elizabeth Maria de Almeida Barra nasceu em Juiz de Fora/MG, no dia 7 de outubro de 1957. Se formou jornalista pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em 1978. Também concluiu pós-graduação em Gestão de Moda, pelo Centro Universitário UNA, em Belo Horizonte, no ano de 2005.
     
    Antes de terminar o curso de Jornalismo começou a trabalhar como freelancer, editando e redigindo o jornal do Clube de Engenharia de Juiz de Fora. Fez o projeto de lançamento e continuou como editora até 1989, quando foi para Belo Horizonte. Quando o clube completou 50 anos, desenvolveu uma revista comemorativa, com destaque para uma entrevista com Lúcio Costa, à época, meio avesso a receber a imprensa.
     
    Em janeiro de 1979, criou um jornal mensal, que teve apenas seis edições. Era uma publicação bem feminina e de comportamento, mas que não durou muito tempo.
     
    Paralelamente, trabalhou na Esdeva Gráfica, por um ano, como jornalista responsável pelas publicações.
     
    Em 1980 foi lançada a Tribuna de Minas, pelo qual participou do projeto de concepção do jornal e exerceu as funções de editora de programação visual e editora- adjunta da primeira página.
     
    Em 1988, a Tribuna de Minas abriu uma sucursal em BH. Por lá, foi editora de Cidades/BH, editora de programação visual e editora do suplemento dominical Homem e Mulher. 
     
    Fez alguns trabalhos freelancer para a revista Isto É Minas, sob comando do jornalista Otaviano Lage.
     
    Em 1990, a Tribuna de Minas fechou a sucursal e ela resolveu ficar em Belo Horizonte. No início de 91, recebeu um convite de Antonio Seara, então diretor de arte do Hoje em Dia, para fazer com ele a reforma gráfica no jornal.
     
    Logo após, assumiu outras funções, entre elas, foi editora e participou da criação do primeiro caderno de Tevê (1991), editora do Minas, caderno de  cidades, por quatro anos. Em seguida, passou a edição do Classificados/Negócios e, na sequência, passou a editora dos cadernos Tevê e Programinho.
     
    Em 2004, assumiu também a editoria do Moda e seis anos mais tarde, a editoria de Suplemntos, envolvendo também, as editorias de Info, Veículos e Turismo.
     
    Em 2011, a empresa voltou a reformular o quadro de editores e dissolveu a editoria de Suplementos. Com a reforma gráfica e editorial, lançada em 19 de junho de 2012, continuou como editora do Programinha, do Moda e do Tevê. Em agosto do mesmo ano passou a acumular também a editoria de decoração, Décor.
     
    Na edição online, mantém a coluna Necessaire, sobre moda, beleza, coberturas de desfiles e lançamentos.
     
     
     
    Atualizado em junho/2013 – Portal dos Jornalistas
    Fonte: Informações fornecidas pela jornalista