ABI cria espaço para denúncias de violência contra jornalistas e veículos

A ABI criou na semana passada em seu site o SOS Jornalistas, espaço para a publicação de ameaças e casos de violência contra jornalistas no exercício da profissão e contra veículos de comunicação em todo o Brasil. A entidade alerta para que o espaço seja usado com responsabilidade, sempre com informações fidedignas e suspeitas fundamentadas de ameaças e agressões contra comunicadores em geral, sejam repórteres, repórteres fotográficos, redatores, editores, radialistas, cinegrafistas, blogueiros atuando em jornais, revistas, emissoras de rádio e tevê, portais, sites, blogs e quaisquer outros veículos. As denúncias serão publicadas no site após avaliadas por moderadores da ABI. Além da veiculação no SOS Jornalistas, a ABI deverá divulgar as ameaças na imprensa e encaminhar às autoridades policiais, ao Ministério Público e aos responsáveis pelos demais órgãos competentes para que sejam tomadas medidas de proteção às pessoas e organizações ameaçadas. A entidade informa ainda que desenvolverá um trabalho com os órgãos competentes com o objetivo de impedir que esses crimes fiquem impunes. Cooperação – A propósito, a ABI e a Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça deverão firmar nas próximas semanas um Termo de Cooperação para a implantação de mecanismos que reduzam a violência contra jornalistas. Para tratar do tema, Paulo Jerônimo, vice-presidente da ABI e presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos, e o conselheiro Arnaldo César estiveram reunidos em Brasília, em 16/8, com a secretária Nacional de Segurança Pública Regina Miki e o coordenador-geral de Inteligência do Ministério da Justiça André Mendes. Basicamente, a ABI pleiteou à secretária a implantação de medidas para impedir que se concretizem as ameaças de morte sofridas atualmente por mais de 80 jornalistas, radialistas, fotógrafos e blogueiros espalhados pelo País. Também pediu a colaboração do governo para impedir que a impunidade prevaleça nesses casos. Confira os detalhes.