Luiz Roberto de Souza Queiroz biografa Dorina Nowill

Em Dorina Nowill ? Um relato da luta pela inclusão social dos cegos (Avis Brasilis), Luiz Roberto de Souza Queiroz, o Bebeto, assíduo colaborador da seção Memórias da Redação, conta a história de vida de Dorina Gouvêa Nowill, que por mais de seis décadas lutou pela inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. O livro, com 324 páginas, faz parte das comemorações dos 65 anos da Fundação Dorina Nowill para Cegos, que ela criou e que se tornou uma referência internacional na produção e distribuição de livros acessíveis, em braile, falados e digitais, além de serviços especializados a pessoas com deficiência visual. Em 1943, Dorina foi a primeira aluna cega a frequentar um curso regular, na Escola Normal Caetano de Campos, em São Paulo, e, em 1979, a primeira mulher presidente do Conselho Mundial para o Bem estar de Cegos, atual União Mundial de Cegos. O lançamento beneficente aconteceu na última 2ª.feira (28/11), na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo. O livro impresso, mais a versão em áudio, acessível às pessoas com deficiência visual, estará à venda por R$ 80. A renda da noite será totalmente revertida para os projetos da Fundação. A partir de 5/12, as versões poderão ser compradas separadamente na Loja Virtual da instituição (www.fundacaodorina.org.br/loja). Com mais de 40 anos de jornalismo, Bebeto (luizroberto@lrsq.com.br) atuou em O Estado de S.Paulo, do Jornal da Tarde, TV Bandeirantes, TV Globo e Rádio Eldorado e foi diretor do Departamento de Jornalismo da Fundação Armando Álvares Penteado.