José Paulo Lanyi

José Paulo Lanyi

Nasceu em Brasília (DF) em 10 abril de 1970. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Libero (SP), também é escritor e cineasta. Começou na profissão em 1991 como redator, repórter e narrador esportivo da TV Metropolitana, um canal UHF de Guarulhos (SP).

Foi repórter das rádios CBN e Globo, coordenador de jornalismo da sucursal da Radiobrás e repórter das TVs Bandeirantes e Manchete. Na TV Globo-SP, coordenou o Jornal Hoje, produziu o SPTV 1º Edição e fez pautas para o Jornal Nacional e o Bom Dia Brasil. Integrou, como repórter, âncora e editor, a equipe fundadora da allTV, primeira emissora da internet, reconhecida em 2010 com o Prêmio Esso de Melhor Contribuição ao Telejornalismo.

Foi ainda colunista da revista Imprensa e dos portais Comunique-se e Observatório da Imprensa, veículos em que exerceu a crítica da mídia, editor do Portal da Unesp e colaborador da BBC News Brasil. Publicou artigo no jornal “Folha de S. Paulo”. Escreveu o último perfil em vida do escritor Plínio Marcos. Capa da revista “Cult” 27 (outubro de 1999), o artigo tornou-se uma referência acadêmica sobre a trajetória do dramaturgo santista.

A peça teatral de Lanyi “Quando Dorme o Vilarejo” venceu em 2002 o Prêmio Vladimir Herzog. Foi publicada pela Imprensa Oficial/SP e encenada em 2008 com o apoio da ONU no Teatro São Bento, em São Paulo.

Formado com louvor pela Escola de Cinema (SP), em 2009, dirigiu e produziu vários curtas-metragens. Foi produtor executivo e diretor do making of do longa-metragem “Real, O plano por trás da história” (LightHouse/Maristela/Paris Filmes).

É autor de vários livros, como o romance “Calixto, Azar de Quem Votou em Mim” (Amazon, 2018), o romance cênico (gênero que criou) “Deus Me Disse que Não Existe” (Chiado, 2018), publicado em Portugal, e a coletânea “Crítica de Jornalismo”, publicada na Amazon em 2018 pelo selo Jornalistas&Cia Livros, com prefácio de Moacir Japiassu.

Lanyi faz assessoria de imprensa e, entre outros projetos, está à frente de “Bodega”, longa-metragem que dirigirá com Tristan Aronovich (“Alguém Qualquer”) e está em fase de captação de recursos. Ele também assina o roteiro e é produtor associado do filme, sobre o caso homônimo.

Atualizado em maio/2019 – Portal dos Jornalistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *