A repórter Emanuele Madeira, da TV Clube, afiliada da Globo no Piauí, foi agredida na noite desta quarta-feira (5/5) enquanto filmava uma confusão generalizada após o fim da partida entre as equipes do Altos e do Fluminense-PI. A confusão teve início após um bate-boca entre o técnico Wallace Lemos, do Fluminense, com o presidente do Altos Warton Lacerda, que desencadeou uma briga generalizada na porta dos vestiários.

Enquanto registrava a briga, a profissional teve o celular arrancado à força e foi segurada pelo pescoço por se recusar a entregar o dispositivo. A partida estava sendo realizada na casa do Altos, e o agressor, que estava vestindo a camisa do time local, foi identificado como sendo João Paulo dos Anjos. Apesar de sua presença em uma área restrita, a equipe alegou que ele não fazia parte do estafe do clube.

Emanuele Madeira é atacada enquanto filmava confusão no jogo entre Altos e Fluminense-PI
Emanuele Madeira é atacada enquanto filmava confusão no jogo entre Altos e Fluminense-PI

Um vídeo gravado pelo cinegrafista do site ge mostrou o momento em que João Paulo toma o celular de Emanuele e a agarra pelo pescoço. As agressões pararam quando ele percebeu que estava sendo filmado. O registro do celular da jornalista mostra a discussão entre Wallace e Warton, que são contidos por jogadores e funcionários dos dois times.

Após ser escoltada pela Polícia Militar, a equipe registrou boletim de ocorrências na Polícia Civil. Warton Lacerda alegou que o agressor pode ser algum torcedor que teve acesso ao gramado.

Por decorrência do protocolo de saúde adotado pela Federação de Futebol do Piauí e do decreto imposto pelo Governo do Piauí, não é permitida a entrada de torcedores em estádios de futebol durante a pandemia. Diante das restrições, é permitida a entrada apenas de atletas, funcionários de clubes e federação, além da imprensa.

A Fenaj, juntamente com o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí (Sindjor/PI) emitiu nota repudiando as agressões. Confira na íntegra:

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí (Sindjor/PI) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) vêm a público repudiar e condenar veementemente as agressões físicas e morais sofridas pela jornalista Emanuele Madeira, do Globo Esporte (GE), da TV Rádio Clube, afiliada da Rede Globo no Piauí, agredida por um homem que usava o uniforme do Altos, do Piauí, durante confusão generalizada do clube com o Fluminense-PI. A agressão aconteceu na noite dessa quarta-feira, (05/05), no Estádio Felipão, no munícipio de Altos, a 40 km de Teresina, após partida da 9ª rodada do campeonato estadual.

Um bate-boca entre o técnico Wallace Lemos, do Flu-PI, e o presidente do Altos-PI, Warton Lacerda, desencadeou uma batalha campal na porta dos vestiários do estádio Felipão, na cidade de Altos, a 40km ao Norte de e Teresina.

Enquanto filmava a briga, a jornalista Emanuele Madeira teve o celular arrancado a força e foi agredida covardemente no braço por esse homem, que depois a agarrou pelo pescoço, se recusando a devolver o material de trabalho da profissional, num verdadeiro atentado machista e de desrespeito ao direito constitucional de liberdade de imprensa e do pleno exercício do jornalismo.

Assim como Emanuele Madeira, profissionais de imprensa também presentes na cobertura jornalística a atividade esportiva sofreram agressões morais e ameaças. Estes atentados exigem apuração e punição aos agressores por parte da Federação de Futebol do Piauí (FFP), bem como investigação das autoridades policiais conforme Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia de Polícia de Altos.

Cabe ao Sindjor-PI e FENAJ cumprirem o dever e papel em defender a categoria, quer seja filiados ou não, a defesa incondicional do livre exercício da profissão de jornalista e o direito constitucional da sociedade à informação. Essa é a obrigação primeira do Sindjor-PI e FENAJ, que não pode silenciar quando esses valores democráticos estão sob ameaça.

O Sindjor-PI e FENAJ estarão cobrando tanto da parte da FFP como das autoridades policiais do Estado apuração dos fatos para as providências conforme a lei exige, como também exigindo segurança aos profissionais de imprensa nas coberturas jornalísticas nos estádios de futebol do Estado do Piauí.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí e Federação Nacional dos Jornalistas”

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments