O fotógrafo Filipe Granado, do jornal Bragança em Pauta, foi agredido em 5/6 enquanto acompanhava uma denúncia de aglomeração em Bragança Paulista, interior de São Paulo. O responsável pelo ataque foi o promotor de eventos André Felipe Silva do Nascimento, que também é assessor comissionado da prefeitura.

Segundo boletim de ocorrência, Nascimento admitiu ter agredido o fotógrafo, sob a justificativa de que “sentiu sua intimidade invadida por ele”. Em nota sobre o caso, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) lembra que, “de acordo com a Constituição, qualquer cidadão tem o direito de gravar o que quiser em espaços públicos, em especial em momentos de interesse da sociedade. Quando um jornalista grava uma operação policial e, no caso, também da vigilância sanitária, isso não configura crime”.

As denúncias da Vigilância Sanitária apontavam um grupo que descumpria as normas estabelecidas para conter o avanço da Covid-19. O fotógrafo disse que “ia tirar uma foto das fiscais fazendo a autuação e já ia embora. Nesse momento, fui surpreendido com um soco”.

Na segunda-feira passada (7/6), Dia Mundial da Imprensa, a Ordem dos Advogados do Brasil/OAB Bragança Paulista emitiu uma nota lamentando o ocorrido e apoiando Granado.

A entidade declarou ser “solidária ao jornalista agredido, assim como ao veículo de imprensa por ele representado, informando que observa atentamente a evolução do caso. Nas palavras do Dr. Marcus Vinícius Furtado Coelho, ex-presidente do Conselho Federal da OAB, ‘para a ordem, para os males da liberdade, e para os males da democracia, só há um remédio: mais liberdade e mais democracia’”.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments