Correspondente paraguaio afirma que o PCC pode estar planejando ataques a outros jornalistas

Em entrevista ao Knight Center for Journalism in the Americas, o correspondente paraguaio Cándido Figueiredo, que trabalha na cidade de Pedro Juan Caballero, onde Léo Veras foi executado em 12/2, disse que a situação na região está muito tensa após o ocorrido. Segundo ele, “há rumores de que o Primeiro Comando Capital (PCC) estaria planejando ataques contra outros jornalistas”.

Figueiredo, que trabalha no maior jornal do Paraguai, o ABC Color, se disse muito abalado com a morte de Véras, com quem tinha uma grande amizade e conversava diariamente. Ele está cobrindo o assassinato, e contou que é “muito difícil escrever quando a vítima é um amigo”, denunciando a demora no avanço da investigação.

Afirmou que vive com escolta policial há 25 anos, devido a diversas ameaças que recebeu ao longo da carreira. Com o avanço do PCC, a região fica “mais perigosa”, relata: “Eles implementam o seu poder na base do medo. (…) Acho que agora estão pressionando para que a gente não publique muitas coisas sobre eles”.

Confira a entrevista completa de Cándido Figueiredo ao Knight Center.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *