Coronavírus: imprensa é a fonte de informação mais confiável, diz pesquisa

A Edelman divulgou uma edição especial do relatório Edelman Trust Barometer 2020, que analisa a confiabilidade dos meios que as pessoas utilizam para se informar sobre a Covid-19, causada pelo novo coronavírus. Os dados revelam que, nos dez países onde o estudo foi feito, a imprensa é a fonte de informação mais utilizada: 64% dos participantes, que vivem em África do Sul, Alemanha, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, consideram as informações vindas da imprensa como as mais confiáveis.

Os brasileiros participantes apresentaram comportamento contrário aos dos outros países: 64% prefere se informar pelas redes sociais, enquanto que as empresas noticiosas aparecem em segundo lugar, com 59%. Já no resto do mundo, a imprensa segue sendo a fonte de informação mais confiável, e as redes sociais e amigos e familiares ocupam as últimas colocações do estudo. Vale destacar que a pesquisa foi realizada entre 6 e 10 de março, pouco antes da Organização Mundial da Saúde (OMS) classificar o vírus como uma pandemia.

Outro dado relevante foi o de que, em geral, sete entre dez dos entrevistados buscam notícias sobre a pandemia a menos uma vez por dia, sendo que 33% dizem que estão checando várias vezes ao dia. Estes números sobem em países como Itália, Coreia do Sul e Japão, onde os surtos foram maiores.

Porta-vozes com mais credibilidade, como cientistas, médicos e funcionários da OMS, são as fontes mais confiáveis: 85% dos entrevistados disseram querer ouvir mais os cientistas e menos os políticos, representantes do governo e jornalistas, que aparecem com apenas 50% de confiabilidade.

Confira o relatório na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *