Abraji e ABI condenam ataque de Bolsonaro à imprensa

A Abraji condenou os ataques que o presidente Jair Bolsonaro direcionou à imprensa em 18/12, durante cerimônia de formatura de soldados da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Ele declarou que, “numa fração de segundo, está em risco a sua vida, do cidadão de bem ou de um canalha defendido pela imprensa brasileira (…) Não se esqueçam disso, essa imprensa jamais estará do lado da verdade, da honra e da lei. Sempre estará contra vocês. Pensem dessa forma para poderem agir“.

O presidente também insinuou que as fake news surgem, em sua maioria, na própria imprensa: “Não esperemos da imprensa a verdade. (…) O Brasil será uma grande nação. E, para isso, contamos com o povo maravilhoso ao nosso lado, e a liberdade das mídias sociais, que essa, sim, traz a verdade para vocês. Que a maior fábrica de fake news está em grande parte na imprensa brasileira”.

Em nota, a Abraji escreveu que “rejeita, de forma veemente, mais um discurso estigmatizante contra a imprensa por parte do presidente do País, que busca deslegitimar o trabalho de jornalistas e veículos, incitando seus apoiadores a fazer o mesmo. É inadmissível que a maior autoridade do País semeie entre PMs recém-formados a desconfiança contra a imprensa, que presta um serviço de interesse público garantido pela Constituição. Com essa atitude, Bolsonaro torna se corresponsável por eventuais conflitos entre jornalistas e policiais militares”.

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) também repudiou o pronunciamento. Para a entidade, “o episódio confirma, mais uma vez, que no que diz respeito à liberdade de expressão e ao compromisso com a democracia o presidente é irrecuperável. A ABI, por sua vez, não arredará pé de seus compromissos com a defesa da liberdade de imprensa e os direitos garantidos pela Constituição”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *