A Sociedade dos Editores do Reino Unido (SoE), formada por representantes dos mais importantes veículos de comunicação do país, saiu em defesa da imprensa local. A entidade emitiu na segunda-feira (8/3) uma nota dura em que condena os ataques que o príncipe Harry e sua mulher Meghan Markle fizeram na entrevista à apresentadora americana Oprah Winfrey, que foi ao ar no domingo (7/3).

O comunicado diz que a “mídia do Reino Unido não é preconceituosa e não será influenciada em seu papel vital de responsabilizar os ricos e poderosos após o ataque à imprensa pelo duque e duquesa de Sussex“, referindo-se aos trechos em que o casal diz que teve deixar o país em parte devido ao racismo dos tabloides.

O secretário-geral da SoE, Ian Murray, assina a nota em resposta às alegações do casal dizendo “não ser aceitável que o duque e a duquesa façam tais afirmações sem fornecer qualquer evidência que as sustentem”.

A tensão no jornalismo levou a uma cena incomum: um dos principais apresentadores de TV do país, Piers Morgan, deixou abruptamente o estúdio do programa Good Morning Britain que era transmitido ao vivo na manhã de terça-feira (9/3), ao ser criticado por um colega de bancada por suas críticas à duquesa de Sussex. O clipe viralizou nas redes sociais. Durante a tarde, ele foi demitido por questionar se Meghan de fato havia tido pensamentos suicidas.

Pesquisas antes e depois da entrevista do casal mostram que a sociedade está dividida, com os mais jovens achando que Meghan e Harry não receberam da família real o tratamento devido, e que a imprensa não tem sido justa com eles.

Em MediaTalks, veja a íntegra do comunicado da Sociedade dos Editores defendendo o jornalismo do país, os ataques do casal à imprensa, as pesquisas mostrando a opinião do público e o clipe com a explosão do apresentador Piers Morgan.

Leia também: Príncipe Harry e Meghan Markle atacam a imprensa em entrevista que repete padrão histórico

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments