Sidney Rezende deixa a EBC

Laerte Rímoli é o novo diretor-presidente da empresa Menos de um mês após ser anunciada sua contratação, Sidney Rezende não é mais apresentador da Rádio Nacional. De acordo com o Comunique-se, o contrato do jornalista com a EBC foi suspenso, e a última edição do Nacional Brasil – programa que ele liderava – foi ao ar em 20 de maio. O motivo seria uma decisão do presidente interino Michel Temer de contenção de gastos. Logo após sua chegada à empresa, o valor do contrato de Sidney – que chegaria a R$ 1 milhão – teria sido motivo de burburinho nos bastidores da empresa e causado indignação de funcionários. Em 14/5, Sidney publicou um texto sobre o tema em seu site, dando detalhes de sua contratação e atribuições. “O que você lerá aqui é um esclarecimento sobre os detalhes da minha contratação pela EBC”, inicia o texto, que ainda questiona as publicações de Estadão (que relatava o protesto de funcionários pela contratação) e O Globo (intitulada Com dívida de R$ 22 milhões, EBC pagará a jornalista R$ 507 mil) à época. Novo diretor-presidente Além da dispensa dos serviços de Rezende, Temer divulgou em 20/5, por meio do Diário Oficial da União, a nomeação de Laerte Rímoli, então assessor na Câmara dos Deputados, como novo diretor-presidente da EBC, função até a semana passada de Ricardo Melo, que recorreu ao STF para continuar na gestão da empresa. Em nota publicada pela Agência Brasil, Rímoli aponta como preocupação da nova direção valorizar os funcionários do quadro permanente da empresa, de modo a que as três diretorias – de Jornalismo, Engenharia, e Administração, Finanças e Pessoas – serão ocupadas por servidores da EBC. O novo presidente disse ainda, de acordo com a nota, que buscará cumprir a regra, estipulada pelo Acordo Coletivo de Trabalho da EBC, de destinar 70% de todos os cargos de chefia para empregados concursados. Formado pela Universidade Federal de Goiás, o Rímoli foi diretor regional da TV Globo, no Rio de Janeiro, e chefe da Assessoria de Comunicação Social do Ministério do Esporte e do Turismo durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Também coordenou a comunicação da campanha presidencial do candidato Aécio Neves em 2014 e, recentemente, trabalhou na Secretaria de Comunicação Social da Câmara dos Deputados, durante a gestão do presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).